terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Desenvolvimento da Linguagem Infantil


Idade – 0 a 6 meses

Característica Principal

Início do Balbucio:

- Com quatro meses o bebê começa a balbuciar, ou seja, brinca com os sons, é possível perceber a entonação como se estivesse fazendo uma declaração ou uma pergunta.

Marcos do Desenvolvimento

Diferenciação do choro

- Nas primeiras duas a três semanas o choro é indiferenciado, sendo sua única forma de resposta ao mundo;

com o passar das semanas esse choro começa a ganhar características de diferenciação conforme o estímulo a que a criança está exposta e sua a necessidade como fome, medo, desconforto, dor.

Reação aos Sons

- Presta atenção aos sons e assusta-se dependendo da intensidade;

- Acalma-se com a voz da mãe.

Sorriso Social

- Quando conversamos com um bebê de poucos meses, ele nos observa atentamente, demonstrando estar entendendo e movimentando os lábios, mesmo que muitas vezes não produza som.

Sorriso Social

Imitação
- Inicialmente, o bebe já colocou em prática uma importante estratégia de suas habilidades de comunicação, a imitação de alguns movimentos e expressões faciais do adulto, deixando evidente a importância da estimulação para o desenvolvimento da linguagem.


Levanta e Sustenta a Cabeça

Controle Motor

- Com 3 meses sustenta a cabeça e por volta dos 4 meses, quando colocado de barriga para baixo, consegue levanta-la;

- Gosta de brincar com os pés e com as mãos e segura firme um brinquedo.


Idade – 6 a 12 meses

Características Principais

Balbucia Consoantes Encadeadas


- Nessa fase há muito mais que imitação no balbucio, o brincar de meses anteriores vão dando lugar a sílabas reconhecíveis e o bebê sente prazer em brincar com os sons e achando divertido repetir o que produziu como, por exemplo, “pa pa pa” “ma ma ma”.

Responde a Comandos Verbais com Gestos

- A criança responde ao seu próprio nome.
- Compreende expressões como “não” e “tchau”.
- Segue instruções faladas simples como, por exemplo, “me dá a bola”, “pega o sapato da mamãe”.


Marcos do Desenvolvimento

Início da Comunicação

- O bebê já se comunica com as pessoas ao seu redor utilizando sinais para facilitar a sua expressão.

Nesta fase a criança demonstra entender por meio de caretas, sorrisos e choro o que lhe foi dito.

Brincadeiras

- O bebê gosta de produzir ruídos com os lábios e com a língua tentando imitar barulho de chuva, caminhão, cavalo, entre outros, além de imitar a entonação utilizada pelo adulto.

- Encontra objeto parcialmente escondido.

- Explora objetos com as mãos, a boca e luta para obter os objetos que estão fora do alcance.

OBS:Nessa fase a criança explora objetos com as mãos

- Gosta de jogos sociais, como esconder o rosto com uma fralda.
- Fica interessado em imagens de espelho.

OBS:Nessa fase a criança fica Sentada sem apoio

Controle Motor

- Com 6 meses conseguem ficar sentado com apoio.

- A partir dos 7 meses começa a movimentar-se voluntariamente, se arrastando para pegar o que deseja e engatinhar.

- Entre os 9 e 11 meses ficam de pé.


Idade – 1 a 2 anos

Características Principais

Surgimento das primeiras palavras


- Ocorre o surgimento das primeiras palavras, que são normalmente “mamãe” e “papai”.

Vocabulário


- Entre 18 e 24 meses a criança apresenta cerca de 10 a 50 palavras em sua linguagem falada que estão sempre relacionadas a sua vida diária do bebê.

Marcos do Desenvolvimento

Aquisição dos sons/fonemas (Lamprecht, 2004)

- Nesta fase, os sons (fonemas) plosivos e nasais são os primeiros a serem adquiridos pelas crianças com desenvolvimento fonológico normal.

- Entre 1 ano e 6 meses à 1 anos e 8 meses os fonemas plosivos /p/, /b/, /t/, /d/, /k/, /g/ e os nasais /m/ e /n/ são adquiridos
- Com 1 ano e 8 meses os fricativos /v/ e /f/ são adquiridos

“Embora esta classificação seja proposta na literatura outros sons também podem aparecer.”

Habilidades Conversacionais

- Com a ajuda dos adultos o bebê faz verdadeiras conversas. Nesta fase a linguagem usada na conversação é simples e reduzida ao “aqui e agora”(por exemplo, fala sobre objetos não presentes como se estivessem presentes);


- A criança já tem capacidade de esperar a sua vez para falar e usa diferentes formas para chamar a atenção de uma pessoa.

Já é capaz de chamar a pessoa pelo nome e espera uma resposta;


- As produções de fala das crianças são sempre pontuais, com no máximo duas palavras, geralmente composta por um substantivo ou verbo;

Compreensão de Palavras e Ordens Simples

- Compreende palavras mais simples e de maior ocorrência na vida cotidiana (comer, passeio, dormir, etc.),

as que designam os objetos mais familiares (ursinho, boneca, carrinho etc.),

os alimentos e as roupas que veste;

- Reconhece os nomes dos membros da família;

“Sua habilidade de compreender a linguagem falada é maior do que a de falar”

Utilização de Objetos

- Explora objetos de muitas maneiras diferentes (balançando, batendo, atirando, soltando) e os utiliza corretamente (beber no copo, escovar o cabelo, telefonar);

- Localiza objetos escondidos facilmente;

- Olha imagem correta quando a imagem é nomeada.

Controle Motor

- A partir de 1 ano a criança anda sozinha, cambaleando um pouco;

- Sua coordenação motora se aprimora nessa fase e ela passa a correr sem cair, chutar bola, abre a bala/bombom sozinha.


Idade – 2 a 3 anos

Características Principais

Construção de Frases

- Inicialmente surgem as frases simples com grande significado como, por exemplo, “chão” para expressar que “caiu no chão”;

- Com a aquisição de um vocabulário mais rico começam a aparecer as frases afirmativas e negativas compostas por 3 e 4 elementos, mas com omissões de palavras (preposições, os artigos e os pronomes) com alterações de concordância, desvios de flexionamento nominal e inversão dos elementos, como por exemplo:

“Qué casa vovó não”;
“Sapato é minha pai”;
“Esse meu bola”.

Vocabulário

- Ocorre uma explosão do vocabulário, a criança apresenta cerca de 200 a 400 palavras que incluem nomes, brinquedos, alimentos, roupas, animais e alguns verbos;

Marcos do Desenvolvimento

Aquisição do fonemas/sons (Lamprecht, 2004)

- Os fonemas /s/, /z/, /ch/, /j/ são de aquisição mais tardia na classe dos fricativos.

Com 2 anos o fonema /z/ já aparece na fala; com 2 anos e 6 meses os /s/ e /j/; e com 2 anos e 10 meses o /ch/.

- Os fonemas líquidos são marcados pela aquisição mais tardia devido a sua complexidade articulatória e fonológica.

Dentro desse grupo o /l/ é a primeiro a ser dominado pelas crianças a partir dos 2 anos e 8 meses.

Apesar da explosão do vocabulário adquirido pela criança, ela ainda não domina todos os fonemas (sons) da fala, portanto é esperada algumas trocas em sua fala que são normais e chamadas de simplificações fonológicas (ou processos fonológicos ou estratégias de reparo).


Essas simplificações fonológicas são trocas de sons mais difíceis (que na verdade são adquiridos mais tardiamente) pelos mais fáceis. No entanto, esses “erros” na fala da criança vão desaparecendo gradativamente.


- Segundo Wertzner ( ), com 2 anos e 6 meses algumas simplificações fonológicas começam a ser superadas:

Redução de sílaba: quando há perda de uma das sílabas do vocábulo.
Ex. xícara – “xica”.

-Harmonia consonantal: um fonema sofre a interferência de um vizinho que antecede ou o segue.

Ex. pipoca – “pipopa”.

- Plosivação de Fricativa:

o modo de articulação do fricativo é transformado no plosivo.

Ex. faca – “paca”, sopa – “topa”.

Brincadeiras Simbólicas (lúdicas)

- Brincar com boneca ou super heróis como se fossem situações reais.

Trocando a Roupa da Boneca

Contar Histórias com Auxílio do Adulto

- Narra (conta) com auxílio de perguntas do outro sobre o lugar (onde), os acontecimentos (o que) e pessoas (quem).

Fase chamada de protonarrativa, ou seja, a criança ainda não consegue elaborar textos que possam ser adequadamente classificados como narrativas, ela depende da intervenção das perguntas do adulto que a colocam numa situação de complementaridade e é respondendo àquelas perguntas que ela inicia os primeiros passos para a construção de narrativas.

Exemplo:

“Onde você foi?”
“na icóla” (na escola);
“O que você fez lá?”
“binco” (brinquei);
“E o que mais?”
“comeu e mimi” (comi e dormi).

Funções Comunicativas

- Faz uso da linguagem falada para pedir, informar, perguntar, interagir.


Habilidades Conversacionais

- Iniciam-se as habilidades conversacionais, estabelecendo diálogo com as pessoas sobre contextos conhecidos, concretos e que ocorrem no presente;

- Inicia, mantém uma conversa curta, mas não por muitos turnos, logo se dispersa e não se atem ao tópico da conversação.

OBS:Nessa fase a criança já consegue:Subir um degrau(escada)

Controle Motor

- A partir de 2 anos, a criança é capaz de mover os dedos das mãos com maior precisão.

Ele pega melhor lápis, giz de cera, escovar os dentes e até tenta usar tesouras.

- Ela passa a correr, subir nos móveis, subir degraus e consegue andar de triciclo.

OBS:Nessa fase a criança tem:Habilidade com os dedos


Idade – 3 a 4 anos

Característica Principal

Compreensão da Fala

- Apesar de ainda apresentar alguns processos fonológicos (troca os sons) em sua fala, a criança é compreendida com clareza por estranhos.

Entende-se 50% de tudo o que a criança fala, nesta fase.

Marcos do Desenvolvimento

Vocabulário

- A criança apresenta cerca de 400 a 600 palavras;

- Possui vocabulário com um aumento significativo de nomes, verbos e adjetivos.

Nessa idade a criança adquire algumas preposições (em, sobre, com) e começa a fazer uso de pronome pessoal “eu”.

- Usa plural (“cães”, “carros”, “chapéus”);

Aquisição dos Fonemas/sons (Lamprecht, 2004)

- O fonema /R/ é adquirido, por volta dos 3 anos e 4 meses (/Rato/, /Rua/).

- Nessa idade as seguintes simplificações dos sons começam a ser superadas:

- Posteriorização para velar: um fonema produzido com os lábios ou ponta da língua se transforma em um produzido com o dorso da língua.

Ex torta – “corca”, dado – “gago”

Simplificação de líquidas: esse processo inclui a substituição, a semivocalização e a omissão das liquidas.

Ex. lápis – “iapis”.

Construção de Frases

- As frases são compostas por 5 a 6 elementos e já formam frases interrogativas (perguntas) utilizando pronomes “de quem” e “qual”; essa é a fase dos “porquês”;

- Faz uso de tempos verbais no presente, passado e futuro, mas ainda há desvios de flexionamento verbal por generalizações de regras.

Exemplos:

“Eu pego pra você” – presente
“Papai vai comprá pra mim” – futuro
“Eu nadei na piscina” – passado
“Eu que comei o doce” (eu que comi o doce);

- Utiliza os artigos determinados, respeitando as regras de flexionamento de gênero (as de número podem não ser utilizadas por influência cultural). Exemplos:

“Dá a bola e o palhaço”
“Não pega as minha meia!” (não pega as minhas meias).

Contar Histórias


- Relata experiências imediatas, ou seja, aquelas que estão ocorrendo no momento em que a questão é feita.

Na narrativa de histórias, há dificuldades em manter a coerência e coesão, omite elementos secundários, insere fatos não verdadeiros. Fase da narrativa primitiva.

Exemplo: “Era uma vez uma bruxa.

Ela dava uma maçã pra branca de neve. Aí ela chama o caçador, mas a branca de neve foge”.

Foge pra onde? “pra casa dos anões. Eles gostam da branca de neve”. E aí? “aí, aí aparece um lobo.

O caçador mata o lobo. O príncipe mata o lobo. Eles casa no castelo”.

Brincadeiras

- Joga espontaneamente com duas ou três pessoas, atribui funções sociais em jogo fingir, como por exemplo – “Você será mamãe”,”eu serei papai”.
.

Habilidades Conversacionais


- Apresenta mais turnos simples do que expansivos. Se não é entendida, não se auto-corrigem, repete exatamente o que disseram;

- Começa a adaptar a linguagem às necessidades do interlocutor. Por exemplo, fala de forma diferente quando se dirige a bebês, ou crianças muito mais novas que ela, e usa formas indiretas ao fazer pedidos.

Funções Comunicativas

- Pede, protesta, nomeia, faz perguntas sobre referentes ausentes, usa expressões sociais para interagir. A função predominante é a informativa.

Compreensão
- Compreende os conceitos de igual e diferente;
- Responde se ela é um menino ou menina;
- Entende o conceito de contagem e pode conhecer alguns números.


Idade – 4 a 5 anos

Característica Principal

Narrativa
- Narra uma história conhecida sem ajuda do outro ou de figuras, embora os elementos coesivos na narração ainda estejam falhos;

Marcos do Desenvolvimento

Aquisição dos fonemas/sons (Lamprecht, 2004)
- A aquisição do fonema /lh/ ocorre a partir dos 4 anos;
- Já fonema /r/ é o último a ser adquirido, iniciando aos 4 anos e 2 meses.*

* Existe grande variabilidade de produção entre as crianças.

Vocabulário

- A criança apresenta cerca de 600 a 1500 palavras;

Habilidades Conversacionais


- Passa a haver um equilíbrio maior entre manter e iniciar uma conversa.

É capaz de conversar com mais de um interlocutor ao mesmo tempo sobre referentes ausentes e abstratos.


- Por volta dos 4/5 anos a criança já adquiriu a sintaxe básica, ou seja, a mesma gramática como o resto da família.

A criança que, nas suas primeiras etapas, aprendeu fazi (por analogia com comi, parti, senti), no entanto, mais tarde acostumou-se a dizer fiz graças ao que ouvia dos adultos.


- Esta etapa do desenvolvimento é um processo de aprendizagem não automático advindo da estimulação de outros contextos como a escola e a família, portanto não se dá da mesma maneira e com o mesmo grau de perfeição em todas as crianças, marcando o início de uma diferenciação social e cultural.

Construção de Frases
- Uso de períodos simples e compostos, além dos anteriores, subordinados com “se” e “quando”.

Exemplos:

“Eu vou brincar quando eu for lá”
“Eu como se tiver batata frita”

- Usa corretamente os principais tempos verbais (presente, passado, futuro) para verbos regulares;


- Verbos pouco utilizados podem apresentar desvios de flexionamento, principalmente os verbos irregulares.

Exemplos:

“Eu trazo pra você (Eu trago pra você)
“Eu não ouvo daqui” (Eu não ouço daqui)

- Fala frases de mais de cinco palavras

Idade – 5 a 6 anos

Característica Principal

Simplificação Fonológica (Wertzner, 2000)

- Nessa idade a maioria dos processos fonológicos (trocas dos sons) já foram superados, entretanto ainda são esperados:

- Simplificação de encontro consonantal: a criança elimina um dos membros do encontro em geral a consoante líquida. Ex prato – “pato”

- Simplificação de consoantes final: a criança elemina ou substitui a consoantes final do vocábulo ou sílaba.

Ex. tambor – “tamboi” ou “tambo”

Marcos do Desenvolvimento

Vocabulário
- A criança apresenta acima de 10.000 palavras;

Narrativa
- Mantém a organização temporal dos fatos, mesmo omitindo ainda alguns fatos secundários, que não prejudicam o entendimento da narrativa.

- Não insere mais fatos que não sejam verdadeiros só para manter a narrativa; se não lembra, diz que não lembra.

Habilidades Conversacionais

- Inicia e mantém conversação por muitos turnos. Conversa com mais de uma pessoa ao mesmo tempo sobre assuntos ausentes e abstratos;

- Uso de períodos simples e composto, incluindo subordinados com “pois” e “para que”.

Exemplos:

“Eu vou por o vestido nela para que ela fique bonita”
“Vamos desenhar esse, pois é o mais bonito!”

- Uso de tempos verbais: pretérito mais que perfeito e condicional. Exemplos:

“Eu já tinha feito esse desenho antes de você chegar”
“E se você fizesse um bolo de laranja para mim?”

- Uso correto dos verbos irregulares mais utilizados.

OBS:Nessa fase a criança recebe estimulação na Escola

As diferenças entre a linguagem infantil e a linguagem do adulto não são tão óbvias depois que a criança completa cinco/seis anos de idade.

Nesta idade, a criança tem, todavia, problemas com alguns aspectos gramaticais especialmente difíceis para ela, como são a concordância entre o sujeito e o verbo e as formas irregulares do presente e do passado.

No entanto, a estrutura básica de quase todas as frases que a criança consegue produzir parece ser a mesma da gramática do adulto.

Será na escola, e em especial nas lições de língua materna, que ela, com a ajuda do professor, irá superar alguns dos problemas de concordância.


Idade – após 6/7 anos

Característica Principal

Produção correta dos sons/fonemas

- Fala corretamente todos os fonemas podendo haver variabilidade apenas para o grupo consonantal.
Marcos do desenvolvimento

Funções comunicativas
- Utiliza, de forma sofisticada, todas as funções comunicativas descritas anteriormente. Passa a ser hábil para argumentar.

Narrativa
- Narra com detalhes histórias conhecidas e relatos pessoais. Cria propositalmente histórias com coerência entre os fatos.

Habilidades Conversacionais
- Usa recursos adequados para trocar o tema da conversação (“sabe uma outra coisa…”);

- Autocorrige-se quando percebe que não é compreendida, reestruturando sua fala e a organização do discurso;

- Demonstra habilidade para usar a linguagem falada considerando o contexto e o interlocutor;
regula o que pode dizer, em que lugar e com qual pessoa;


- As solicitações indiretas são ainda mais “indiretas”.

Exemplo: Olhando para uma camiseta nova que a mãe comprou para o irmão, diz “esta camiseta ficaria muito bem com as minhas calças”.

Fonte:http://fonoaudiologiaparapediatras.wordpress.com/

Imagem:Net

Nenhum comentário:

Postar um comentário